1.5.11

Saudosas Cartas...

Estava relendo algumas cartas antigas que eu recebia antes da internet tomar conta do nosso cotidiano,e percebi como era bom aquele tempo em que as pessoas se comunicavam através da escrita e deixavam passar sentimentos através dela. Sempre gosto de ler todas elas, porque me leva de volta ao passado, e me faz pensar como era gostosa aquela fase que a gente vivia na ansiedade para chegar uma cartinha de alguém especial. 
Ninguém hoje em dia pega um caneta para fazer uma cartinha, malmente se faz um cartão, porque hoje tudo é cartão virtual, scrap e torpedos.Pode até ser que as informações chegam rápidas e as conversas são instantâneas, mas não conseguiram colocar na tecnologia a magia de se tocar e sentir aquilo que foi enviado por uma pessoa querida que escreveu com letras bonitas e coloridas, enfeitando o papel com adesivos lindos e colando o selinho no envelope. Eu particulamente adorava fazer isso tudo, e até hojeguardo com muito carinho todas as cartas que recebi.
Se ao menos as pessoas ainda pudessem se lembrar do significado em escrever um cartão, uma carta para alguém da família, ou algum amigo distante,  e quem sabe um amor... poderia talvez descobrir o significado de sentimentos verdadeiros e poderá guardar as melhores recordações que uma pessoa pode ter.


Selecionei até algumas, de muitas cartas que tenho guardadinhas...






“Ninguém é mais solitário do que aquele que nunca recebeu uma carta.”
 Elias Canetti



15 comentários:

♪ Sil disse...

Thay, querida!

Nossa, grande verdade isso.
Tenho um saco imensoooo de cartas que eu recebia, e muitas vezes as leio pra matar a saudade do passado.
E isso da internet facilitar tanto as coisas, tem um lado tão ruim tbm.
Acredita que esses dias fui mandar uns livros de presente a uma amiga muito querida aqui dos blogs....Thay do céu, fui escrever uma dedicatória a ela e tremia, acredita?
A falta de uso de caneta...parecia que eu não reconhecia mais minha própria letra, e fiquei pensando como é nocivo as vezes a internet nesse sentido.
Vou praticar mais rs!

Um beijo pora ti!

Thaís Alves disse...

Nossa, também tenho esta saudade dos tempos das cartas, dos papéis de carta perfumados, das amigas que escreviam só para dizer o quanto você era especial... hj está tudo tão frio... tão distante. Nem sempre o instantâneo aproxima. Beijos!

www.dado.pag.zip.net disse...

Estou convidando vc a participar de um evento em meu blog como jurada nele. Basta você escolher em cada categoria um blog que vc julgar ser o melhor. Informe no link VOTE AQUI um blog de cada categoria. no final do Oscar farei uma homenagem a você e a todos que me ajudar. Obrigado Dado www.dado.pag.zip.net

♪ Su the best♫ disse...

Oi thay,
Três coisas:
1.Nada melhor do que dar e receber cartas,eu,por exemplo,sempre faço isso pas pessoas realmente importantes pra mim,escolher o papel,eleborar o texto,escrever o q o coração pedir,nossa nada melhor que isso,adooooro!
2.Gosto muito do teu blog,to sempre passando par dar uma olhadinha.=]
3.Te seguindo já,qualquer coisa passa lá no meu,será sempre muito bem recebida!!!http://su-thebest.blogspot.com
Abraço =]

PapoBacana disse...

lindo seu textp. amei mesmo...

Lembrei de uma crônica de Rubem Alves que gosto muito, eu também sou a favor das cartas..

Vou colocar aqui alguns trechos para você..

“...Para isto se escrevem as cartas de amor. Não para dar notícias, não para dar conta de nada, não para repetir as coisas por demais sabidas, mas para que mãos separadas se toquem, ao tocarem a mesma folha de papel...”

“...Ainda bem que o telefone existe”, retrucarão os namorados modernos, que não mais têm de viver o amor no espaço das ausências. Engano. Um telefonema não é uma carta falada. Pois lhe falta o essencial: o silêncio da solidão, a calma da caneta pousada sobre a mesa que espera e escolhe pensamentos e palavras. O telefone põe a solidão a perder. Num telefonema a gente nunca diz aquilo que se diria numa carta. Por exemplo: “Eu ia andando pela rua quando, de repente, vi um ipê-rosa florido que me fez lembrar aquela vez...” Ou: “Relendo os poemas de Neruda, encontrei este que, imagino, você gostará de ler...”

“...A diferença entre a carta e o telefone é simples. O telefone é impositivo. A conversa tem de acontecer naquele momento. Falta-lhe o ingrediente essencial da palavra que é dita sem esperar resposta. E, uma vez terminado, os dois amantes estão de mãos vazias...”


Rubem Alves

Sandro Ataliba disse...

Eu também vivi essa época, e, como não gosto da saudade e nem da ansiedade que a distância nos traz, confesso que prefiro o imediatismo de hoje, quando posso mandar um SMS para minha esposa e saber que ela vai lê-lo na mesma hora. Mas esse sou eu, né!? rs

PapoBacana disse...

que bom que gostou!
tenho a cronica na integra no meu blog..
um grande abraço..
e uma otima semana..


http://papiando-adoidado.blogspot.com/2011/04/cartas-de-amor-rubem-alves.html

Everson Russo disse...

Saudades desse bom tempo,,,era tão gostoso ver a caixa de correios,,,não o eletronico,,,com algo pra gente,,,ler a escrita,,ver a letra da pessoa,,,hoje,,,por mais importante que seja,,,e realmente o é,,,existe uma frieza na internete e na rapidez dos emails...mas é a vida...beijos de boa semana pra ti.

Mariz disse...

É verdade amiga,

uma carta sempre dizia tudo, a espera, a ansiedade e o momento da chegada, dando lugar as linhas q eram devoradas para depois serem apreciadas e levadas ao coração e muitas vezez relidas...ah, como lembro de minhas cartas...de meus sonhos azuis.

hj a tecnologia não consegue transmitir o toque das letras no papel.

adorei a lembrança...

beijos e ótima semana querida!

Patrícia ♥ disse...

Oii..
tem selinho no meu blog pra vc!
e não se esqueça das regrinhas, rs

Beijoos
http://pathyoliver.blogspot.com/2011/05/300-seguidores-o.html

Bruno Gomes disse...

Eu também tenho umas cartas aqui em casa, de uma menina que eu me correspondia muito na adolescência.
Na verdade, não costumo enviar mais cartas rsrs
Naturalmente, com o advento de tecnologias que fazem as coisas de forma mais rápida, abandonei gradualmente isso.

Mas admito que torna o ato sem aquele sentimento, perde um pouco do charme.

Eu só mando carta escrita a mão mesmo para namorada.
Acho legal, dá um presente, acompanhado de algo escrito, etc.

Beijos!

Pedro Menuchelli disse...

Também quero uma carta desse jeito hein?

E é incrivel, cartas marcam momentos. Momentos expressam sentimentos e tudo começa a ser mais perceptível a nossa mente, por mais que os anos se passem. Com certeza, um belo texto. Um grande beijo, com carinho!

Mariane Magno disse...

Verdade as cartinhas fazem tanta falta. Lembro das cartinhas das amigas, do primeiro namoradinho. HUAHSUAHSUHASUH'
TÃO BOM lembrar velhos tempos. Os sentimentos eram passados para o papel, transferido a algo palpável como uma folha com palavras escritas, podia-se guarda para o resto da vida.

Certas coisas não deveriam para de existir jamais, mesmo com os avanços tecnológicos *-*

Fernand's disse...

essa semana vou mandar um cartão pra minha mãe. guardo com muito carinho a sensação de esperar pelo carteiro, confeccionar envelopes personalizados para mandar cartas aos amigos, namorados... um tempo delicioso, a gente sentia o amor e carinho nas mãos.

internet é bom, funcional, mas não tem a magia do registro que a gente guardava numa caixa especial.



bjsmeus

PapoBacana disse...

Estamos na temporad de selos..rsrs
tem outro selo para vc la..
abraços.